M
Logo Portal da BIDS

© 2024 CityPubli

Logo Portal da BIDS
Logo Portal da BIDS

NOT√ćCIAS

ABIMDE encerra participação na Eurosatory 2024

Maior evento mundial de defesa terrestre e aérea termina em Paris A Eurosatory, a maior feira mundial de defesa terrestre e aérea, encerra hoje sua edição de 2024 em Paris. A edição deste ano reuniu o setor de defesa e segurança, apresentando uma ampla gama de...

MBDA na Eurosatory: Protagonismo e Inovação em Defesa

Para o Brasil, empresa expande horizontes por meio de coopera√ß√Ķes industriais A participa√ß√£o da MBDA na Eurosatory refor√ßou o comprometimento e a efici√™ncia do grupo europeu em oferecer solu√ß√Ķes de defesa soberanas para atender todas as For√ßas Armadas. A feira, um...

Opera√ß√£o ‚ÄúLan√ßamento de Armas‚ÄĚ: Marinha testa o seu poder de combate

Exerc√≠cio ocorreu no litoral do Rio de Janeiro e contou com lan√ßamento de m√≠sseis e bombas A Marinha do Brasil (MB) conduziu, entre os dias 15 e 18 de junho, a Opera√ß√£o ‚ÄúLan√ßamento de Armas II/2024‚ÄĚ, mobilizando navios e aeronaves da Esquadra, no litoral entre as...

Akaer debate transformação digital no SciBiz Conference 2024

O vice-presidente de Opera√ß√Ķes da Akaer, Fernando Ferraz, participou nesta quarta-feira (20) de um dos pain√©is principais do SciBiz Conference 2024, maior confer√™ncia de ci√™ncia e neg√≥cios da Am√©rica Latina. O evento acontece nesta semana na USP, em S√£o Paulo, com a...

EDGE e Thales anunciam uma parceria estrat√©gica para o desenvolvimento e fabrica√ß√£o de comunica√ß√Ķes por r√°dio nos Emirados √Ārabes Unidos

‚Äď A EDGE e a Thales assinaram uma declara√ß√£o de inten√ß√Ķes para colaborar no desenvolvimento de r√°dios definidos por software nos Emirados √Ārabes Unidos. ‚Äď Espera-se que a parceria desenvolva e produza novas solu√ß√Ķes no dom√≠nio das comunica√ß√Ķes por r√°dio. Abu Dhabi,...

Especialistas manifestam preocupação com a Base Industrial de Defesa

A Base Industrial de Defesa desempenha papel fundamental na prote√ß√£o das fronteiras e na defesa do territ√≥rio nacional, garantindo a soberania e a integridade do pa√≠s. Em audi√™ncia p√ļblica realizada nesta ter√ßa-feira, 18, pela Comiss√£o de Rela√ß√Ķes Exteriores e de...

Kryptus inaugura laboratório avançado de cibersegurança e defesa pioneiro na América Latina

Pioneiro na Am√©rica Latina, LabSCA investiga vulnerabilidades de hardware que podem ser exploradas em ataques cibern√©ticos A Kryptus, multinacional brasileira especializada em solu√ß√Ķes de seguran√ßa cibern√©tica e defesa, inaugurou recentemente o Laborat√≥rio Avan√ßado de...

Import√Ęncia da Energia Nuclear √© tema em Audi√™ncia P√ļblica no Congresso Nacional

Evento foi uma oportunidade para fortalecer a colaboração entre a Marinha e atores do Setor Nuclear O Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM), Almirante de Esquadra Alexandre Rabello de Faria, representando a Marinha do Brasil,...

Militares realizam est√°gio de opera√ß√Ķes aerom√≥veis na Amaz√īnia

Na √ļltima semana, o Ex√©rcito Brasileiro celebrou a conclus√£o do Est√°gio de Opera√ß√Ķes Aerom√≥veis de 48 militares que integram o Comando Militar da Amaz√īnia (CMA). O est√°gio, que contou com a participa√ß√£o de integrantes de diversas organiza√ß√Ķes militares, foi...

Ind√ļstria nacional em destaque na Eurosatory 2024

Exposi√ß√£o global de defesa e seguran√ßa refor√ßa compromisso com inova√ß√£o tecnol√≥gica Come√ßou a Eurosatory 2024, a principal exposi√ß√£o global de Defesa e Seguran√ßa, realizada no Centro de Exposi√ß√Ķes Paris-Nord Villepinte, em Paris, at√© o dia 21 de junho. O evento re√ļne...

O treinamento de operadores faz parte do acordo de cooperação entre a Comissão Nacional de Energia Nuclear e a Força Naval

A parceria entre a Marinha do Brasil (MB) e o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), unidade técnico-científica da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), está capacitando militares para apoiar atividades de pesquisa e produção de radioisótopos no Reator IEA-R1. O acordo prevê o funcionamento do reator em turnos de operação contínua para produção de radioisótopos, planejando a formação de até 40 operadores de reator e quatro profissionais de radioproteção.

Em setembro de 2023, após o exame de qualificação da CNEN, foram licenciados 10 operadores da MB, sendo quatro operadores seniores de reator e seis operadores de reator. Em abril de 2024, mais nove operadores da Força Naval e cinco operadores do IPEN foram licenciados.

Os operadores da Marinha, com os operadores do IPEN, serão responsáveis pela condução da operação e pelo treinamento de novas equipes.
O Gerente-Adjunto de Opera√ß√Ķes do Reator de Pesquisa IEA-R1, professor doutor Alberto Fernando, explica que o curso prepara os militares da For√ßa para o Exame de Qualifica√ß√£o da CNEN, garantindo a seguran√ßa e efici√™ncia na opera√ß√£o de plantas nucleares.

‚ÄúOs alunos s√£o capacitados por profissionais que j√° atuam no Centro do Reator de Pesquisas e no Centro de Engenharia Nuclear do IPEN, em S√£o Paulo (SP). Eles ministraram aulas te√≥ricas e pr√°ticas de todos os sistemas da instala√ß√£o que se encontram detalhados no Relat√≥rio de An√°lise de Seguran√ßa (RAS). O aproveitamento tem sido √≥timo, pois todos os candidatos, treinados sob coordena√ß√£o dos pesquisadores Dr. Jos√© Roberto Berretta e Dr. Renato Semmler, do Centro do Reator de Pesquisas, foram aprovados, como a turma que concluiu treinamento no final de abril de 2024‚ÄĚ, conta Alberto Fernando.

Operadores da Marinha qualificados no Reator IEA-R1 do IPEN em 2024 – Imagem: 1SG-AM Walney
Fases do curso

O Curso de forma√ß√£o do IEA-R1 √© dividido em v√°rias fases, come√ßando com uma parte te√≥rica seguida de um treinamento pr√°tico intensivo. Os discentes adquirem conhecimentos espec√≠ficos sobre a planta nuclear, os procedimentos operacionais, normas e regulamenta√ß√Ķes, al√©m de desenvolverem habilidades e atitudes necess√°rias para um operador licenciado.

Treinamentos pr√°ticos e te√≥ricos ocorreram nas instala√ß√Ķes do Pr√©dio do Reator – Imagem: 1SG-AM Walney

O treinamento pr√°tico ocorre nas instala√ß√Ķes do IEA-R1, permitindo que os alunos lidem com cen√°rios variados, incluindo situa√ß√Ķes de emerg√™ncia. Al√©m disso, o curso inclui avalia√ß√Ķes cont√≠nuas e est√°gios supervisionados na planta, nos quais os alunos aplicam o conhecimento adquirido sob a supervis√£o de operadores licenciados.

O Capitão de Corveta (Engenheiro Naval) Ramon Soares de Faria explica que o processo de qualificação é rigoroso e inclui várias etapas, com destaque para o exame de qualificação da CNEN.

‚ÄúO exame da CNEN √© um dos momentos mais cr√≠ticos deste processo e inclui uma parte escrita, que avalia conhecimentos te√≥ricos, e uma parte pr√°tica, com situa√ß√Ķes operacionais e de emerg√™ncia. Al√©m disso, a CNEN tamb√©m realiza entrevistas t√©cnicas, nas quais os candidatos s√£o questionados por uma banca de especialistas sobre diversos aspectos t√©cnicos e operacionais‚ÄĚ, detalha.

Segurança e operação de plantas nucleares foram temas abordados no curso РImagem: 1SG-AM Walney

O coordenador e professor Dr. Jos√© Roberto Barreta enfatiza que a forma√ß√£o no IPEN √© crucial para o desenvolvimento de operadores de reatores, destacando a import√Ęncia do conhecimento. “Desde o in√≠cio, busquei transmitir o m√°ximo de informa√ß√Ķes sobre a instala√ß√£o, pois isso enriquece o aprendizado dos alunos”, afirma. Ainda segundo Barreta, um dos aspectos mais importantes para um operador de reator √© n√£o se limitar ao conhecimento de uma √ļnica instala√ß√£o, mas expandir sua compreens√£o para outros reatores. “Esse conhecimento abrangente melhora significativamente a seguran√ßa na opera√ß√£o”, conclui.

Parceria necess√°ria

Em 2019, o IPEN procurou a MB para verificar a possibilidade de alocar pessoal para viabilizar a retomada da operação por períodos contínuos e prolongados do reator nuclear de pesquisa IEA-R1.

Segundo a Diretora-Superintendente do IPEN, Dra. Isolda Costa, ‚Äúessa parceria propiciar√° a produ√ß√£o de alguns radiois√≥topos importantes como o Iodo-131 e o Lut√©cio-177, possibilitando a disponibilidade, n√£o para atendimento total da demanda nacional, mas em quantidades que permitam pesquisa e desenvolvimento de novos radiof√°rmacos, bem como o atendimento emergencial em momentos de escassez desses radiois√≥topos no Pa√≠s‚ÄĚ, esclarece.

O Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Alexandre Rabello de Faria, destacou que a parceria com o IPEN também atende à necessidade de capacitação dos futuros operadores do Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica (LABGENE).

‚ÄúEsse processo de coopera√ß√£o √© essencial, pois o LABGENE est√° sujeito √†s normas da CNEN, e um dos requisitos para os candidatos a operadores √© possuir experi√™ncia t√©cnica em opera√ß√Ķes nucleares. E a experi√™ncia na opera√ß√£o de um reator nuclear de pesquisa √© v√°lida para cumprir parte desses requisitos‚ÄĚ, afirmou o Diretor-Geral.

A parceria tem possibilitado a formação de operadores seniores de reator, de operadores de reator e supervisores de proteção radiológica para o Reator IEA-R1, garantindo também o funcionamento do reator de forma continuada, o que propicia o desenvolvimento do potencial de pesquisa e de produção do Reator IEA-R1.

O Primeiro-Sargento Bruno de Oliveira Machado relatou os desafios de ingressar no curso. “O maior desafio foi entender como funciona o setor nuclear e crescer profissionalmente. Tivemos que sair da ‚Äėzona de conforto‚Äô e mergulhar na vasta √°rea nuclear para nos especializar”, afirmou. Ele tamb√©m destacou a motiva√ß√£o do desafio profissional e a import√Ęncia de buscar novos conhecimentos. ‚ÄúO futuro est√° caminhando para essa tecnologia, precisamos desmistificar o uso da energia nuclear e mostrar os benef√≠cios para a sociedade, seja nos setores energ√©ticos, sa√ļde, agroindustrial ou seguran√ßa alimentar”, concluiu.

A parceria possibilita a formação de operadores seniores, de operadores de reator e supervisores de proteção radiológica para o Reator IEA-R1 РImagem: 1SG-AM Walney
Sobre o Retor

O IEA-R1 √© um reator de pesquisa tipo ‚Äúpiscina‚ÄĚ, moderado e refrigerado a √°gua leve, que utiliza elementos de ber√≠lio e de grafite como refletores. Foi projetado para operar a uma pot√™ncia m√°xima de 5 MW. Ele pode ser utilizado para v√°rias finalidades, com destaque para a produ√ß√£o de radiois√≥topos para uso em medicina nuclear, como o Sam√°rio-153, utilizado como paliativo da dor em met√°stases √≥ssea e no tratamento de artrite reumatoide; o Iodo-131, utilizado na terapia de c√Ęncer de tireoide e hipertireoidismo, na terapia de hepatomas, na localiza√ß√£o e terapia de feocromocitomas, neuroblastomas e outros tumores, no estudo da fun√ß√£o renal, na determina√ß√£o do volume plasm√°tico e volume sangu√≠neo total; e o Ir√≠dio-192, produzido na forma de fios met√°licos, utilizados na t√©cnica de braquiterapia para o tratamento de c√Ęncer. Pesquisas est√£o sendo realizadas para a produ√ß√£o de geradores de Tecn√©cio-99m, Lut√©cio-177 e R√™nio-188.

Ainda conforme a Diretora do IPEN, al√©m dos pesquisadores do Centro do Reator de Pesquisas, onde o reator est√° localizado, tamb√©m utilizam os servi√ßos de irradia√ß√£o do IEA-R1: o Centro de Engenharia Nuclear, o Centro de Tecnologia das Radia√ß√Ķes, a Diretoria de Radiof√°rmacos, o Centro de Metrologia das Radia√ß√Ķes, o Centro de Energia Nuclear na Agricultura ¬†da Universidade de S√£o Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas, o Centro Brasileiro de Pesquisas F√≠sicas, o Instituto de Engenharia Nuclear, o Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Companhia Ambiental do Estado de S√£o Paulo, o Instituto de Geoci√™ncias da USP, o Instituto de F√≠sica da USP, o Instituto de Radioprote√ß√£o e Dosimetria, a Universidade Federal Fluminense e o TRACERCO do Brasil (empresa privada que executa inspe√ß√Ķes e testes em refinarias de petr√≥leo).

Radiof√°rmacos produzidos pelo IPEN – Imagem: 1SG-AM Walney

Com um compromisso contínuo com a excelência e a inovação, a Marinha do Brasil, em parceria com o IPEN, permanece investindo na educação e no treinamento em energia nuclear, formando profissionais capacitados e prontos para liderar o futuro energético do Brasil. A capacitação desses operadores é essencial para assegurar um futuro próspero e seguro para o Brasil, destacando-se como uma Nação líder no uso pacífico e sustentável da energia nuclear.

O IPEN recebeu da Marinha uma réplica do Submarino Nuclear Convencionalmente Armado РImagem: 1SG-AM Walney

Assista ao vídeo:


.
As informa√ß√Ķes s√£o da Ag√™ncia Marinha de Not√≠cias
.

Translate¬Ľ