M
Logo Portal da BIDS

© 2024 CityPubli

Logo Portal da BIDS
Logo Portal da BIDS

NOTÍCIAS

FAB lança campanha institucional: “A Nossa Força onde o Brasil precisar”

O objetivo é ressaltar a prontidão da Força Aérea e a sua importância para a sociedade Com a missão constitucional de "manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da Pátria", a Força Aérea Brasileira (FAB) desempenha um...

FAB participa da 3ª Conferência Espacial das Américas no EUA

O evento contou com a participação de militares do Centro de Operações Espaciais (COPE), que é subordinado ao Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de representantes de países das Américas e de organizações norte-americanas ligadas à área espacial   A Força...

Oficiais da Marinha do Brasil capacitam militares mexicanos para operações de paz da ONU

Militares brasileiras integraram Equipe Móvel de Treinamento do COpPazNav O Centro de Operações de Paz de Caráter Naval (COpPazNav), da Marinha do Brasil, enviou ao México uma Equipe Móvel de Treinamento (EMT), composta pelas Capitães de Mar e Guerra (Quadro Técnico)...

Exército conclui transporte de viaturas e armamentos para a fronteira norte

O Exército Brasileiro concluiu o transporte das viaturas e armamentos para reforço da defesa da fronteira norte do país. No último sábado, 10, o Comando Militar da Amazônia (CMA) encerrou as atividades da Operação Roraima, uma grande mobilização logística que envolveu...

Apronto operacional reúne capacidades da Força de Prontidão no Sul do Brasil

Uma verificação do aprestamento individual e coletivo dos efetivos que compõem a Força de Prontidão (FORPRON) da 6ª Brigada de Infantaria Blindada foi realizada na primeira semana de fevereiro. O apronto operacional reuniu cerca de mil militares e 200 viaturas, com...

Apoio do BNDES à inovação alcança R$ 5,3 bi em operações aprovadas em 2023

Valor foi o maior dos últimos cinco anos e representa um aumento de 132% em relação ao total aprovado em 2022, sendo de 181% se consideradas apenas operações diretas Crescimento foi impulsionado pelo programa BNDES Mais Inovação, lançado em setembro, que tem custo...

Pesquisa do ITA com uso operacional de Inteligência Artificial é destaque

Publicação é o resultado de um estudo desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais Artigo desenvolvido por um pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais (PPGAO) do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) foi destaque...

GLO: Com PF e RFB, FAB intensifica combate ao tráfico de ilícitos no carnaval

Ações interagências ocorrem nos aeroportos do Galeão (RJ) e de Guarulhos (SP) Com o objetivo de combater o tráfico de ilícitos no período de Carnaval, foram intensificadas as ações interagências entre a Força Aérea Brasileira (FAB), a Receita Federal do Brasil (RFB) e...

Brasil e Paraguai atuam em cooperação no combate ao crime transnacional

A Operação Ágata Fronteira Oeste II completou 90 dias no início de fevereiro, atingindo a marca de quase 130 milhões de reais em apreensões de drogas e outros ilícitos decorrentes de crimes transnacionais e ambientais. Desde o dia 29 de janeiro, o Brasil conta com a...

Diretor-Geral do Material da Marinha realiza apresentação em plenária da ABIMDE

O Almirante de Esquadra Edgar Luiz Siqueira Barbosa destacou os “Projetos Estratégicos da Marinha e Oportunidades para a Base Industrial de Defesa” No último dia 06 de fevereiro, a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE)...

Na terça, 30/01, houve mais uma edição da série de seminários “Neoindustrialização em novas bases e apoio à inovação nas empresas”, coordenada por Fernando Peregrino, chefe de Gabinete da Finep, e que ajudará a embasar a próxima Conferência Nacional de CT&I, em junho. Os temas estão na pauta da Nova Política Industrial, lançada no dia 22/1 pelo presidente Lula, e que envolve cerca de R$ 300 bi, a participação de 21 ministérios, e uma nova relação entre governo e setor produtivo. A Finep participa com R$ 41 bi.

Na mesa da manhã, Ronaldo Carmona (ESG), William Rospendowski (Finep), Perpetua Almeida (ABDI) e Fabio Borges (LNCC) debateram a Base Industrial de Defesa e Segurança. A diretora de administração, Janaina Prevot, saudou os presentes: “a Finep já está na nova indústria brasileira, como pudemos ver no artigo publicado na Folha de São Paulo pelo presidente Celso Pansera. Seguimos juntos com mais recursos e melhores taxas”, comemorou.

De acordo com Perpetua, é importante colocar a indústria de defesa no centro dos debates de Neoindustrialização. Além disso, promovermos o debate da indústria sustentável.

“Defesa é pilar básico de qualquer país central e impacta outros setores, quando se tem protagonismo mundial. Não falo arma, revólver. Falo de tecnologias estratégicas de soberania, como satélites que monitorem florestas e mares”, destacou Perpetua, com amplo histórico de contribuições como parlamentar.

Para ela, há muitos gargalos a serem resolvidos: “não existe soberania sem o olhar de governo e sem olhar todas as áreas. É preciso que defesa seja visto não apenas como armamentismo, mas a partir da visão de tema estratégico. Não podemos perder tecnologias críticas nossas. Como falar de soberania se um avião nosso depende do GPS de outro país?”, questionou, complementando: “o Brasil precisa do seu próprio geoposicionamento”.

Ronaldo Carmona, assessor da diretoria de Inovação da Finep e professor da ESG, falou sobre os porquês de o tema do seminário ser prioritário nas bases da nova indústria. “O ‘grosso’ das tecnologias de um Iphone, por exemplo, tem a ver com tecnologias de defesa. Ela é fundamental porque lida com temas de fronteira tecnológica”, esclareceu.

Para ele, o próprio mundo desenvolvido mostra que os países que enfatizam investimentos em defesa são lideranças globais, apontam os principais debates e impulsionam economia e desenvolvimento social a partir do setor.

O baixo orçamento do Ministério da Defesa preocupa o especialista, que seguiu sua fala comemorando o olhar atento da Finep para o tema: “contratamos cerca de R$ 1 bi no ano passado – um apoio correto e importante para o país”, destacou, relembrando os recursos disponíveis nos editais do Finep Mais Inovação, recém-publicados.

Para ele, a financiadora pode dar uma contribuição ainda maior para o desenvolvimento da Base Industrial de Defesa. William Rospendowski, superintendente da Finep, diz que – apesar de um hiato, o histórico de financiamento nos últimos 20 anos é bastante relevante. Para ele, a retomada recente de aplicação recursos é fundamental e “o setor está preparado para o novo momento do FNDCT, com recursos descontingenciados”.

O executivo destacou a importância dos recursos de subvenção econômica para projetos estruturantes, políticas públicas conjuntas e de um amplo debate sobre garantias e compras públicas, dentre outros apontamentos. “Estamos num momento positivo, o crédito está barato e há ótimos projetos”, completou.

Fábio Borges, do LNCC, destacou a importância do investimento em computação quântica. Comparou, ainda, detalhes sobre armas inteligentes (muitas vezes mais baratas) que destroem os tanques de guerra (bem mais caros), de modo a ilustrar o histórico equívoco na construção de políticas públicas.

“O Brasil precisa fazer escolhas corretas, na fronteira crítica, investir em chips, em financiamento de precisão. A Inteligência Artificial é um dos caminhos – e ainda pouco utilizado”, frisou.

E provocou: como colocar um helicóptero para procurar um outro helicóptero que tenha caído na selva, se alguns drones fazem de modo mais barato e preciso o mesmo serviço?”, questionou, sinalizando a hora de uma guinada em prioridades, alocação de recursos e priorização da soberania via tecnologia.

As informações são da Finep.

Translate»