M
Logo Portal da BIDS

© 2024 CityPubli

Logo Portal da BIDS
Logo Portal da BIDS

NOTÍCIAS

FAB lança campanha institucional: “A Nossa Força onde o Brasil precisar”

O objetivo é ressaltar a prontidão da Força Aérea e a sua importância para a sociedade Com a missão constitucional de "manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da Pátria", a Força Aérea Brasileira (FAB) desempenha um...

FAB participa da 3ª Conferência Espacial das Américas no EUA

O evento contou com a participação de militares do Centro de Operações Espaciais (COPE), que é subordinado ao Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de representantes de países das Américas e de organizações norte-americanas ligadas à área espacial   A Força...

Oficiais da Marinha do Brasil capacitam militares mexicanos para operações de paz da ONU

Militares brasileiras integraram Equipe Móvel de Treinamento do COpPazNav O Centro de Operações de Paz de Caráter Naval (COpPazNav), da Marinha do Brasil, enviou ao México uma Equipe Móvel de Treinamento (EMT), composta pelas Capitães de Mar e Guerra (Quadro Técnico)...

Exército conclui transporte de viaturas e armamentos para a fronteira norte

O Exército Brasileiro concluiu o transporte das viaturas e armamentos para reforço da defesa da fronteira norte do país. No último sábado, 10, o Comando Militar da Amazônia (CMA) encerrou as atividades da Operação Roraima, uma grande mobilização logística que envolveu...

Apronto operacional reúne capacidades da Força de Prontidão no Sul do Brasil

Uma verificação do aprestamento individual e coletivo dos efetivos que compõem a Força de Prontidão (FORPRON) da 6ª Brigada de Infantaria Blindada foi realizada na primeira semana de fevereiro. O apronto operacional reuniu cerca de mil militares e 200 viaturas, com...

Apoio do BNDES à inovação alcança R$ 5,3 bi em operações aprovadas em 2023

Valor foi o maior dos últimos cinco anos e representa um aumento de 132% em relação ao total aprovado em 2022, sendo de 181% se consideradas apenas operações diretas Crescimento foi impulsionado pelo programa BNDES Mais Inovação, lançado em setembro, que tem custo...

Pesquisa do ITA com uso operacional de Inteligência Artificial é destaque

Publicação é o resultado de um estudo desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais Artigo desenvolvido por um pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais (PPGAO) do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) foi destaque...

GLO: Com PF e RFB, FAB intensifica combate ao tráfico de ilícitos no carnaval

Ações interagências ocorrem nos aeroportos do Galeão (RJ) e de Guarulhos (SP) Com o objetivo de combater o tráfico de ilícitos no período de Carnaval, foram intensificadas as ações interagências entre a Força Aérea Brasileira (FAB), a Receita Federal do Brasil (RFB) e...

Brasil e Paraguai atuam em cooperação no combate ao crime transnacional

A Operação Ágata Fronteira Oeste II completou 90 dias no início de fevereiro, atingindo a marca de quase 130 milhões de reais em apreensões de drogas e outros ilícitos decorrentes de crimes transnacionais e ambientais. Desde o dia 29 de janeiro, o Brasil conta com a...

Diretor-Geral do Material da Marinha realiza apresentação em plenária da ABIMDE

O Almirante de Esquadra Edgar Luiz Siqueira Barbosa destacou os “Projetos Estratégicos da Marinha e Oportunidades para a Base Industrial de Defesa” No último dia 06 de fevereiro, a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE)...

O recente corte de quase 70% nos recursos destinados aos custos administrativos do Ministério da Defesa acende um sinal de alerta que vai além das contas de água, luz e café. A sanção do Orçamento pelo presidente Lula, com a recomendação do próprio governo ao Congresso Nacional, revela uma visão preocupante em relação à prioridade dada ao Novo PAC em detrimento da segurança e funcionamento básico das Forças Armadas e as questões estratégicas.

A importância estratégica desses recursos para a Defesa Nacional não pode ser subestimada. A verba destinada a custos administrativos é essencial para a manutenção das atividades cotidianas e o andamento de projetos cruciais. A paralisia nos processos do ministério é uma ameaça real diante do expressivo corte, comprometendo a eficácia das Forças Armadas e, consequentemente, a segurança do país.

Além disso, a análise dos cortes revela uma disparidade notável quando comparada a outras pastas. O Ministério dos Direitos Humanos, por exemplo, teve um aumento de recursos, enquanto a Defesa sofreu uma redução significativa. Isso levanta questionamentos sobre as prioridades do governo, colocando em xeque a importância atribuída à segurança nacional em relação a outras agendas.

O argumento de realocar recursos para o Novo PAC, embora seja uma prioridade do atual governo, não pode se sobrepor à necessidade de manter a integridade das instituições de defesa e seu preparo. O investimento em defesa não é apenas uma questão de segurança, mas também de fomento à própria economia do Brasil, lembrando que gera milhares de emprego no país e fomenta uma já combalida capacidade industrial estratégica, que vem sofrendo absurdamente por conta da miopia, para não dizer amadorismo, de nossos representantes no congresso e senado.

Os cortes na verba da defesa têm um impacto direto em contratos de terceirizados, projetos estratégicos e na manutenção de atribuições rotineiras do Ministério da Defesa, como por exemplo, os exercícios de interoperabilidade, e mesmo ações de suma importância a segurança de nossas fronteiras e o combate a ilícitos. A redução de milhões em despesas discricionárias é um golpe considerável, comprometendo a capacidade operacional das Forças Armadas.

É inaceitável que em um contexto de restrições orçamentárias, as Forças Armadas, responsáveis pela segurança do país, sejam duramente afetadas, enquanto outras pastas recebem aumentos. A busca por alternativas para assegurar a manutenção das atividades e projetos da Defesa reflete a urgência dessa questão, e parece que em Brasília sobram acéfalos e faltam mentes pensantes e estrategistas não apenas no que diz respeito a defesa, mas principalmente no que diz respeito a economia e geopolítica.

Os integrantes do governo argumentam que a tentativa de destinar verba para gastos administrativos dependerá do aval do Legislativo. Contudo, é imperativo que o Congresso compreenda a importância estratégica da defesa não apenas para nossa segurança e defesa, mas também para nossa economia como um todo, e a manutenção de uma mínima capacidade de desenvolvimento tecnológico e industrial no campo de defesa, o qual pode trazer muito retorno a nossa economia, e atue de maneira pró-ativa para evitar consequências graves para a segurança nacional.

É necessário questionar se esses cortes são uma retaliação a uma suposta proximidade da caserna com o governo anterior, o que demonstra a falta de compromisso de nossos governantes com as instituições e seu papel na estabilidade e segurança do país, os quais parecem apenas pensar com antolhos ideológicos e interesses próprios que suplantam os interesses e necessidades nacionais, adotando medidas “burras” em vez de uma medida equilibrada para garantir a segurança e soberania do país.

Em um contexto de incertezas globais e desafios à segurança, os cortes na Defesa não podem ser tratados como meras decisões orçamentárias, mas sim como uma ameaça à capacidade do Brasil proteger seus interesses e cidadãos. É imperativo que a sociedade e os representantes no Congresso Nacional questionem e reavaliem esses cortes, priorizando a segurança nacional em um momento de grande importância estratégica e ebulição no tabuleiro geopolítico e econômico internacional.

Por Angelo Nicolaci – Editor, Jornalista Especializado em Geopolítica & Defesa, Consultor e Palestrante com domínio em assuntos correlatos a geopolítica, defesa e a base industrial.

As informações são do Portal GBN Defense.

 

Translate»