M
Logo Portal da BIDS

© 2021 CityPubli

Logo Portal da BIDS
Logo Portal da BIDS

NOTÍCIAS

Mac Jee recebe visita do Príncipe de Abu Dhabi na IDEX 2021

O Grupo Mac Jee, composto por empresas 100% brasileiras da indústria de defesa e aeroespacial, encerrou nesta quinta-feira (25) sua participação na International Defence Exhibition And Conference (IDEX), em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) com uma avaliação...

Empresas brasileiras ampliam relações com parceiros internacionais na IDEX

As empresas brasileiras que participaram do Pavilhão Brasil na International Defence Exhibition And Conference (IDEX) encerraram sua participação ampliando sua visibilidade no mercado internacional. O evento, que acontece em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) teve...

Hospital Naval Marcílio Dias inaugura Centro de Processamento Celular

No dia 10 de fevereiro, foi inaugurado o Centro de Processamento Celular (CPC) do Hospital Naval Marcílio Dias (HNMD), no Rio de Janeiro (RJ). O CPC presta apoio à Unidade de Transplante de Medula Óssea e tem por finalidade o processamento, preservação e...

Cerimônia na Itália celebra 76 anos da vitória brasileira em Monte Castelo

No dia 21 de fevereiro, no município italiano de Gaggio Montano, foram realizadas diversas cerimônias em homenagem aos “pracinhas” da Força Expedicionária Brasileira (FEB), que conquistaram o até então inexpugnável baluarte defensivo nazifascista de Monte Castello....

Príncipe dos Emirados Árabes Unidos visita IDEX

O Príncipe Herdeiro de Abu Dhabi e Vice-Comandante Supremo das Forças Armadas dos Emirados Árabes Unidos, Sua Alteza Xeque Mohamed bin Zayed Al Nahyan, passou pelo Pavilhão Brasil na International Defence Exhibition And Conference (IDEX), que acontece em Abu Dhabi. No...

Emprego cresce na indústria pelo sétimo mês seguido, mostra pesquisa da CNI

A Sondagem Industrial, pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que o índice de evolução do número de empregados ficou em 51,3 pontos em janeiro de 2021. Foi a primeira vez, em dez anos de pesquisa, que as contratações superaram as demissões no...

ARES fala sobre expectativas para 2021, ano em que REMAX completa 15 anos

Sempre que um ano começa, traçamos metas e realizamos um plano de ação. Essas atitudes são importantes para que saibamos exatamente onde queremos chegar. Com a ARES, não é diferente. Ao longo dos últimos anos, a empresa vem investindo massivamente na capacitação de...

ABIMDE e Marinha elaboram relatório para ações em conjunto em prol da BIDS

A ABIMDE encerrou, na última terça-feira (23) as ações do Grupo de Trabalho (GT) com a Marinha do Brasil. As atividades foram realizadas com o objetivo de incrementar a interação entre a Força e a Base Industrial de Defesa e Segurança (BIDS). O principal fruto foi a...

Base Aérea do Galeão recepciona militares do Exercício Culminating

Chegaram à Base Aérea do Galeão (BAGL), no Rio de Janeiro (RJ), nessa segunda-feira (22), as tropas do Exército Brasileiro (EB) mobilizadas no Exercício Operacional Culminating, treinamento combinado entre Brasil e Estados Unidos, realizado no Fort Polk, em Louisiana...

Engenharia do Exército retoma obras no Aeroporto de Dourados (MS)

No dia 15 de fevereiro, o 9º Batalhão de Engenharia de Construção (9º BEC) retomou os trabalhos de ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Regional de Dourados. A obra, que faz parte da Operação Dourados, havia sido interrompida devido às chuvas na...

Precisão, confiabilidade, segurança. Três características indispensáveis quando o assunto é aviação. Durante a trajetória de um voo, as aeronaves que trafegam pelos céus do Brasil são “orientadas” por equipamentos de navegação, distribuídos pelo território nacional, o que compreende uma área de aproximadamente 8,5 milhões de quilômetros quadrados. Em cada etapa do voo, da decolagem, rota e pouso, os pilotos mantêm comunicação via rádio com os controladores de tráfego aéreo, mas também recebem sinais dos mais de 800 auxílios à navegação aérea, fundamentais para que cada voo aconteça com segurança. A operação do tráfego aéreo depende, entre outros fatores, da acuracidade destes auxílios-rádio, dos auxílios visuais e dos procedimentos de navegação aérea.

Na prática, embora os medidores de terra indiquem posicionamento normal dos componentes de um auxílio-rádio, informações imprecisas podem ser transmitidas às aeronaves em voo. A justificativa para o recebimento de sinais com distorções pode ser causada por reflexões no solo ou em edificações, acidentes topográficos, interferências de linhas telefônicas, redes de energia elétrica ou, ainda, de outros auxílios. Como estes equipamentos são instalados para terem seus sinais utilizados por aviões, há necessidade de que seja comprovada a correção da informação transmitida.

Esta comprovação abrange a verificação, aferição e ajuste dos equipamentos, realizada por aviões especialmente equipados, denominados aviões-laboratório. A atividade de Inspeção em Voo é missão do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV). Hierarquicamente, o Grupo está subordinado ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB).

No Brasil, o DECEA é o órgão gestor do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB), responsável pelo controle do espaço aéreo em 22 milhões de Km², área que inclui, além do Continente, parte do Oceano Atlântico.

É dos pilotos-inspetores do GEIV a função de  verificação de todos os aeroportos brasileiros, auxílios e procedimentos à navegação aérea, perfazendo um total de 83 VOR (Very High Frequency Omnidirectional Range), 57 Sistemas de Pouso por Instrumentos, 67 Radiofaróis, 230 Auxílios Visuais de Aproximação, 208 Radares Primários e Secundários, 877 Procedimentos de Aproximação – dentre outros tipos de procedimentos de voo – e 21 Estações Rádio, além da atividade de Radiomonitoragem, essencial para a operação aérea segura.

Para o cumprimento desta missão, o Grupo Especial de Inspeção em Voo dispõe de modernas aeronaves-laboratório: quatro Hawker 800XP (IU-93) e quatro Legacy 500 (IU-50), que contam com o Sistema de Inspeção em Voo embarcado UNIFIS 3000, que monitora, avalia e analisa em voo, os sinais eletrônicos provenientes dos auxílios à navegação aérea. Esse sistema é o estado da arte em termo de avanço tecnológico, totalmente digital. Nos primórdios da inspeção em voo, era usado um sistema analógico chamado de C-FIS. O Operador de Sistema de Inspeção em Voo (OSIV) tinha que fazer manualmente os cálculos para verificar o funcionamento dos auxílios.

A equipe de inspeção em voo no Brasil é composta por seis militares: um piloto-inspetor (PI), um primeiro-piloto de inspeção em voo (1P), um OSIV, dois operadores de sistema de posicionamento de aeronave (OSP) e um mecânico de voo (MEC).

Quando tudo começou

A atividade de inspeção em voo teve início na década de 1950, por meio de acordos de cooperação com a CAA (Civil Aeronautics Administration) – hoje FAA (Federal Aviation Administration) – agência reguladora do Departamento de Transporte dos Estados Unidos, com a responsabilidade de garantir a segurança da aviação civil.

As primeiras inspeções em voo realizadas no Brasil foram acompanhadas por brasileiros a bordo de aeronave e tripulação americanas. Em 21 de fevereiro de 1959, foi realizada a primeira inspeção em voo com avião e tripulação brasileiras, a bordo da aeronave-laboratório EC-47 (FAB 2065). A data marca o início da missão atribuída a Força Aérea Brasileira de inspecionar os auxílios à navegação em todo o território nacional.

No dia de hoje, 21 de fevereiro, são comemorados os 62 anos da realização da primeira inspeção em voo realizada em território nacional com aeronave da Força Aérea Brasileira conduzida por tripulação brasileira.

A data merece ser celebrada e reconhecida por usuários do transporte aéreo e por passageiros, que tem a salvaguarda de suas vidas e, ainda, a garantia do controle do espaço aéreo, missão institucional do Grupo Especial de Inspeção em Voo. Mas, mais do que isso, comemorar a evolução tecnológica e operacional do GEIV e o reconhecimento da excelência na prestação do serviço de inspeção em voo. O Grupo colabora com a missão da FAB, de manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da Pátria, a Dimensão 22. As informações são da FAB.

Translate»